3 de setembro de 2015

Amor


Único, como todos os amores. Assim era, de facto, o deles.
Fugiriam, numa tarde de outono, sem qualquer rede ou incentivo, para os confins da Galiza.
Quem os conheceu afirma que foram felizes para sempre.


©Pedro Miguel Rocha

Sem comentários: