25 de julho de 2015

Sem-abrigo


Ourense não lhe ligava.
Ele parecia não se importar, deixando-se definhar a cada novo dia.
"Pouco mais há a fazer", disse o médico quando ela, finalmente, o encontrou.


©Pedro Miguel Rocha

Sem comentários: